Glow News
Instagram Glow NewsYoutube Glow NewsTikTok Glow NewsFacebook Glow NewsTwitter Glow News
Comportamento » Coronavírus

Depois de enfrentar fila, Regina Volpato tem vacina negada: “Que abandono, descaso!"

A apresentadora também se sensibilizou com as outras pessoas presentes que tinham contextos sociais diferentes do seu

Redação Publicado em 09/06/2021, às 15h52

Foto: Reprodução/Instagram
Foto: Reprodução/Instagram

As novas regras de vacinação na cidade de São Paulo determinam que pessoas com 50 anos ou mais podem entrar na fila da xepa da vacina. A xepa são as doses que sobram e que não podem ser aproveitadas no dia seguinte por causa do prazo de validade. Como não podem ser desperdiçadas, são aplicadas em outras pessoas mais jovens e sem comorbidades.

Esse é o caso da jornalista Regina Volpato, 53 anos, porém o momento tão aguardado acabou frustrado para ela e outras mulheres que estavam esperando na fila do mesmo posto de saúde. Regina desabafou sobre a situação em um vídeo IGTV divulgado em seu Instagram nesta terça-feira, dia 8.

A jornalista estava na fila do posto próximo à TV em que trabalha aguardando para colocar seu nome na xepa. Como ela sai do ar às 18h e os postos funcionam até 19h, a apresentadora não conseguiria chegar a tempo no posto próximo de sua casa. Então, disseram que ela poderia  ir até o posto próximo do seu trabalho, desde que comprovasse trabalhar na vizinhança. Mas não foi bem isso o que aconteceu!

Depois de enfrentar a fila com chuva e frio, portando os documentos necessários, Regina foi informada que não poderia ser vacinada naquele posto, teria que ser obrigatoriamente no posto mais próximo da sua residência. 

Ao ouvirem o que estava acontecendo, as demais mulheres que estavam no ponto de vacinação próximo do seu local de trabalho começaram a se pronunciar, afinal, moravam em bairros distantes e não conseguiriam chegar a tempo para a vacina. A  apresentadora contou que muitas daquelas mulheres trabalham em casas de família e não têm como se vacinarem perto de casa, pois quando elas saem o posto está fechado e quando voltam o posto também está fechado. Além disso, várias disseram que não poderiam ir no sábado ao posto correto, como foi sugerido pela atendente do local, por também ser um dia de trabalho para elas.

Regina se sensibilizou com as outras pessoas presentes naquela fila que tinham vidas e contextos sociais diferentes do seu. “Eu entendo que por conta dos meus inúmeros privilégios eu não estou acostumada a sofrer esses maus tratos. Aí eu comecei a ver aquelas pessoas e me colocar no lugar delas e a entender que a gente enquanto cidadã acaba perdendo a noção de cidadania, a noção de limite, a noção de respeito”, disse.

Todo o episódio que a apresentadora viveu trouxe um sentimento de indignação. “Que abandono, descaso! Eu me emociono de novo por essa situação que ao menos me atinge, bate direto no peito. Eu acho que atinge a todos nós. Eu apresentei hoje o programa todo com uma lágrima no olho por isso”, contou a jornalista.

Com regras que se modificam o tempo todo e tanta apreensão pela vacina da covid-19, Regina Volpato falou sobre artifícios que algumas pessoas tem utilizado, como ir atrás de laudos médicos ou até comprá-los. Ela disse que entende a aflição que essas pessoas passam, mas que se sentiria doente de caráter caso o fizesse e reforçou que vai seguir os trâmites normais. “E essa é mais uma armadilha dos tempos sombrios que nós vivemos, a gente deixa de ser quem a gente é, a gente esquece dos nossos valores e relativiza, flexibiliza em nome de outras angústias”, desabafou a apresentadora no final do vídeo.