Glow News
Instagram Glow NewsYoutube Glow NewsTikTok Glow NewsFacebook Glow NewsTwitter Glow News
Beleza » Cruelty Free

Descubra as marcas de cosméticos que não testam em animais

Conheça marcas de maquiagem e cabelos que são contra a crueldade animal

Redação Publicado em 12/06/2021, às 10h12

Reprodução
Reprodução

Em pleno 2021, cada vez mais marcas se conscientizam sobre o quanto é cruel realizar testes em animais. Por isso, muitas passaram a se posicionar e adotaram o selo cruelty free, que repudia a exploração animal e esse método de testagem dos produtos.

O Glow News preparou uma lista com algumas marcas de produtos para os cabelos que não testam em animais e que valem a pena você experimentar:

Bio Extratus:

A marca nasceu há 30 anos em busca de cosméticos de qualidade e preço acessível. Eles resolveram iniciar uma produção artesanal com produtos ricos em ativos naturais. A Bio Extratus preza pelo cuidado ambiental e, por isso, desempenha projetos como não fazer testes em animais, recuperação de nascentes, preservação da mata nativa e procedimentos internos para prevenir a poluição. Hoje, com linhas de produtos para todos os tipos de cabelo, a marca é vendida em todo Brasil e até no exterior.

Keune:

Já são quase 100 anos de mercado e a marca nunca testou seus produtos em animais e nem autoriza fornecedores ou parceiros a fazerem esse tipo de testagem. A Keune é uma empresa familiar e produz cosméticos profissionais reconhecidos nacionalmente. Orgulhosamente, eles levantam quatro bandeiras sociais: tratam seus funcionários como parte da família; reciclagem e redução do uso de plásticos; sustentabilidade; nunca terem feito testes em animais.

Salon Line:

A Salon Line está há mais de 18 anos no mercado da beleza e veio com a ideia de valorizar e respeitar a textura única de cada cabelo. A marca, que tem linhas de produtos para todos os tipos de cabelos e tratamentos, é uma das queridinhas da internet por carregar um lema consciente e acessível.

Inoar:

No mercado desde 2008, a marca começou com uma fórmula própria para o desenvolvimento de produtos naturais para o meio profissional. Hoje, a Inoar exporta para mais de 40 países e tem um portfólio diverso, com mais de 300 produtos profissionais e para varejo.

Ox Cosméticos:

Presente no mercado há mais de 25 anos, a OX possui fórmulas livres de parabenos, é 100% vegana e não é testada em animais. São oito linhas com diversos produtos para os cabelos e uma tecnologia exclusiva que libera os ingredientes ativos de forma a manter o cabelo saudável por mais tempo.

Felizmente, não apenas o setor de produtos capilares está tomando consciência, como também o de maquiagens:

Quem Disse, Berenice?:

A marca não realiza testes em animais e evita ingredientes de origem animal em seus produtos, tendo também muitas opções veganas. Para assegurar a segurança dos cosméticos, Quem Disse, Berenice? aposta nos testes “In Vitro” com pessoas voluntárias. Além disso, também empenha uma política de reciclagem para o descarte correto das embalagens dos cosméticos.

Vizzela:

A marca nacional tem como intuito valorizar a diversidade e individualidade de cada um, com produtos para todos os tipos de pele, entregando qualidade e preços acessíveis. É vendida no país todo e possui os selos de reciclagem, cruelty free e produtos veganos.

Dailus:

Fundada em 2006, a Dailus se inspira na beleza real e sem rótulos. Os produtos são completamente livres de testes em animais e a marca não apoia tal prática vinda de empresas terceirizadas e/ou prestadoras de serviços. Ela também possui alguns cosméticos veganos, evitando ao máximo os ingredientes de origem animal.

Vult:

Uma das maiores do Brasil, a Vult não realiza testes em animais e possui, em alguns de seus produtos, a total isenção de componentes de origem animal. A marca de maquiagens é também uma das mais acessíveis do mercado, entregando qualidade e um ótimo custo benefício.

Natura:

No mercado há mais de 50 anos, a Natura é uma gigante no ramo da beleza. A marca usa ingredientes de origem sustentável e levanta muitas bandeiras socioambientais. Ela não realiza testes em animais desde 2006, fazendo o uso de modelos 3D de pele ou córnea, que permitem identificar a eficiência e segurança dos cosméticos.