Glow News
Instagram Glow NewsYoutube Glow NewsTikTok Glow NewsFacebook Glow NewsTwitter Glow News
Beleza » ACUSAÇÃO

Cabeleireiro das famosas, Bruno Dantte, é acusado de assédio moral por aluna de curso profissionalizante

A assessoria do hairstylist anunciou seu afastamento de todas as atividades profissionais

Redação Publicado em 10/08/2021, às 10h50

Bruno Dantte - Reprodução/Divulgação
Bruno Dantte - Reprodução/Divulgação

O cabeleireiro Bruno Dantte está sendo acusado de assédio moral por uma aluna de seu curso profissionalizante. Diante dos fatos, o hairstylist anunciou que vai se afastar de todas as suas atividades e empresas por tempo indeterminado até que as denúncias sejam esclarecidas.

Bruno teve seu reconhecimento pelo trabalho com cabelos cacheados e atende famosas como Samara Felippo, Cacau Protásio, Fabíula Nascimento e Vanessa da Mata.

A assessoria de imprensa de Dantte enviou uma nota para a coluna de Leo Dias, do Metrópoles:

“A assessoria de imprensa do empresário e cabeleireiro Bruno Dantte informa que, devido aos últimos acontecimentos, o mesmo optou por afastar-se de suas atividades e empresas por tempo indeterminado até que todos os fatos sejam esclarecidos e cessem os ataques difamatórios que lhe estão sendo indevidamente veiculados nas redes sociais. A assessoria jurídica do empresário já está tomando as medidas cabíveis e necessárias. Bruno deixa registrado que lamenta profundamente o ocorrido e que não compactua com nenhum tipo de comportamento abusivo”.

A atriz Samara Felippo, uma das clientes de Bruno, se pronunciou sobre o caso:

"Estou há dois dias digerindo essa bomba que caiu em cima do meu colo também. Apesar de não ter sido vítima, fui vítima de outra forma porque eu não sabia das atitudes desse cabeleireiro do segmento dos cachos, do qual eu confiava. Cedi a minha amizade, carinho, quase uma parceria. Sinto muito pelas vítimas. Não vou passar pano, mas tampouco estou aqui para apedrejar alguém. Essa sociedade é doente e todo mundo erra", iniciou ela em uma live.

"Não dá para deixar passar, saber se defender ou deixar de entender como esses homens usam o poder de manipulação para mexer com mulheres frágeis. Tem muita mulher sofrendo calada. Isso não dá para continuar. Isso precisa parar. Sinto muito por quem eu indiquei. Espero que vocês denunciem sempre e não se calem. Espero, profundamente, que esse cara aprenda, assim como outros homens que as vezes nem reconhecem que estão praticando assédio e constrangendo uma mulher, a colocando em situação de vulnerabilidade e trauma. Vamos acordar".

ENTENDA

A cabeleireira Pazin fez um relato publicado em suas redes sociais contando sobre o suposto assédio moral que sofreu por Bruno Dantte. Segundo ela, tudo aconteceu após ela ter saído de São Paulo para ir trabalhar no salão de Dantte, no Rio de Janeiro. Depois de três semanas de trabalho, Pazin foi demitida por não aguentar os assédios.

Após as acusações da cabeleireira, outros relatos de assédio ligados a Bruno surgiram, desde alunas até clientes.

Bruno Dantte se pronunciou por meio de uma nota:

“Às clientes, alunas, equipe, seguidoras e amigas. Em respeito às mulheres com as quais trabalho e todo o universo feminino que me rodeia, venho a público me manifestar sobre as acusações de condutas constrangedoras que estão sendo atribuídas a mim.

Sempre prezei pela manutenção de um ambiente de trabalho acolhedor e amistoso e em nenhuma circunstância intimidei pessoas com a intenção de obter qualquer vantagem ou me aproveitei da minha condição de superior hierárquico para coagir funcionárias e clientes.

Alguns relatos em que atribuem a mim ter sido inconveniente com as mulheres com as quais flertei não refletem com exatidão o que vivi. Em momento oportuno terei a possibilidade de demonstrar com provas o que estou afirmando nesta breve nota explicativa.

E ainda que eu possa ter me comportado equivocadamente em algum momento, nunca ameacei ou constrangi ninguém durante minhas interações pessoais e sempre houve reciprocidade, entrosamento e mutualidade.

Importante dizer que não quero deslegitimar a fala de ninguém e tampouco me eximir de minhas responsabilidades por eventuais equívocos imbuídos de eventual masculinidade tóxica, mas peço que entendam que estou também em processo de desconstrução, que é contínuo. Reconheço erros e por isso estou aberto ao diálogo e peço desculpas a todas que se sentiram constrangidas.

Porém, vejo que alguns ataques à minha reputação acabam tomando um erro como se fosse o todo, maculando meu caráter e refletem profundamente em todos os aspectos da minha vida. Por isso, reitero a necessidade de maior prudência no uso das redes sociais.

E como tudo isso impacta negativamente no meu âmbito familiar, social e profissional de forma potencialmente irremediável, estou me afastando temporariamente das atividades profissionais e das empresas com as quais tenho relacionamento, com a intenção de preservar as mais de 90 famílias que realmente vivem o dia a dia das empresas e que não devem ser penalizadas, predominantemente mulheres que confiam no meu profissionalismo. Quero me defender de forma que as pessoas que trabalham comigo não sejam prejudicadas por qualquer conduta minha”, escreveu ele.